Meu conto verídico, relato de leitora.





Conteúdo para maiores de 18 anos

"As pessoas que não sabem diferenciar um amor verdadeiro de um relacionamento forçado, não percam tempo deixando seus comentários"



  Sempre fui muito amiga de minha filha, pelo fato de eu ser mãe solteira... E essa amizade fez eu lhe dar uma educação a qual ela nunca me escondeu nada. Teve uma época que ela saiu com uma amiga dela (a qual a família é inimiga da nossa família) e fiquei sabendo que elas ficaram juntas (é assim que os jovens falam não é?).

  Falei que aquilo não era certo, mas ela disse saber e estar gostando... Como ela sempre foi esperta e sabe onde pisa, apenas pedi que ficassem as escondidas, pois somos de cidade pequena e família conhecida (por esse motivo, não nos encontramos com ninguém e nem enviamos fotos). 

  Passou um tempo, algumas semanas e ela chegou toda alegre em casa, indo direto para ao banheiro dela. Fui atrás, curiosa. Entrei e perguntei o porquê dela estar alegre e ela sentada no vaso sanitário, me respondeu que não era mais virgem e estava namorando. Na hora disse-lhe que não namorasse a tal amiga, e ela rindo disse-me para ficar tranquila, que era com um homem. 


  Fiquei até que aliviada. Mas pensei, se ele estava na casa da amiga, quem seria ele? Ela respondeu que era o ex-namorado dela, o “B”, e que eles fizeram um ménage e ela adorou, o deixando penetrá-la... Por um instante não sabia se ficava feliz ou não, mas ela entrando no banho disse-me que ela estava feliz, e deixei pra lá. 

  Depois de conhecê-lo, passou-se algum tempo... Eu diria quase um ano, e ela já me confidenciava das taras e fetiches dele, que ele queria fazer sexo anal, mas por ela não querer ele respeitava, e essa compreensão dele, fazia com que ela o adorasse ainda mais... Eu ficava até que horrorizada em saber que eles urinavam, que ele a penetrava fazendo oral na amiga, que ela gostava de estar com os dois juntos... Mas o que eu podia fazer?


Ela é maior de idade, sabe o que está fazendo e sempre se cuidou... Apenas escutava, dava minhas opiniões e esperava que ela estivesse segura com ele... Teve uma época, que ela saia apenas com o namorado, sem a amiga e mesmo me falando que sentia saudades dela, não se encontravam...

  - Aqui inicia a minha iniciação com ele - 

 Um belo dia (tempos atrás), estávamos em um churrasco na casa de meus parentes, eu e ela bêbadas, e ele nos levou embora. No carro, já na estrada de chão, no caminho para a cidade, pedi para que ele parasse que eu iria descer... E desci, mas ele veio ajudar-me, achando que eu iria vomitar. Ao chegar ao lado do carro onde eu me encontrava, me viu de cócoras urinando. 

  Eu já havia ouvido que ele gostava de ver e, acho que por estar bêbada, deixei ele me ver, chegando a abrir ainda mais as pernas. Notei que ele olhava bem entre minhas pernas e mesmo achando isso estranho, gostei de ser admirada, mesmo naquela situação... 

  Ao retornar para o carro, minha filha passou e discutir comigo... E até lhe dou razão... Mas como estávamos bêbadas, nem respondíamos coisa com coisa... Ela falava uma coisa, eu respondia outra e foi assim até chegarmos em casa... 


Dentro da garagem, “B” segurou nós duas pelo braço, beijou-a na boca, sem me soltar, e depois de beija-la, me beijou também. Não sei por que, mas correspondi, embora o beijo tenha sido rápido, e antes da Gil falar algo, ele beijou-a novamente. Ele repetiu esses beijos umas 4 ou 5 vezes, e notei que a cada beijo que eles davam, a Jú parecia dar com mais vontade.

  Depois ele falando que nós duas éramos uma família, pediu para nos beijarmos (todo homem gosta disso?) e falei que não, pois era errado. Ele me retrucou, falando que estávamos nos beijando por tabela. E minha filha teve a iniciativa e veio em minha direção. Demos um selinho, nos olhamos e nos beijamos apaixonadamente... Só paramos depois que ele me pegou a força, falando que agora eu teria de cumpri com minha palavra.

  Minha filha disse que eu teria de pagar o que falei - e juro que nem sei o que cheguei a falar no carro - e ele já havia me colocado no capo do carro e estava levantando minha saia. Vi que a Jú já estava colocando um preservativo no "B".

Eu tentava em vão sair daquela posição, mas de repente senti minha calcinha ir para o lado e ele me penetrar. Me assustei e ele dava umas bombadas gostosas, e como há um tempo não sentia um homem me possuindo até deixei...


Mas não demorou muito, ele saiu de dentro de mim, me senti usada, humilhada na frente de minha filha... Foi aí que senti minha calcinha ser retirada até os joelhos e ele com o preservativo melado por minha vagina, me penetrou o ânus.

  Gritei e chorei, e minha filha veio me consolar, pedindo para que eu aguentasse essa dor por ela. Chegando a me lamber as lagrimas que escorria em meu rosto. Não tive como dizer não ao pedido de minha filha, e fui estuprada conscientemente. Aos poucos ele dava estocadas em mim mais fortes e eu aquentando por ela, pois se eu não fizesse, ele faria no anus dela. 

  Quando ele retirou de meu ânus, eu estava fraca, com as pernas tremulas (não mentirei, cheguei a ter um orgasmo, mesmo com a dor), e não me aguentando escorreguei pelo capo do carro, sentando-me no chão, encostando-me no para choque. Foi aí que olhei para eles, ele segurando uma das coxas dela, a penetrava de pé mesmo...

Notei que entre as estocadas, eles vinham em minha direção... Sem forças para sair, ele chegou a encostar o bumbum dela em mim, pegando uma das nádegas dela e abrindo, e falou com aquela voz autoritária novamente: "Lambe, lambe tudo minha vadia".

  Obedeci, não sei até hoje se por medo ou por excitação de ver aquilo tão perto de mim, mas obedeci. Lambia minha própria filha e o saco dele... Senti ele retirar da vagina dela e gozar em meu rosto. Nem sei como saíram daquela posição tão rápidos, e minha filha estava lambendo a porra dele em meu rosto e me beijando com ela.

  Eu aceitava, a beijava como querendo sugar dela aquele mel branco dele. Sem querer, urinei ali sentada mesmo e minha filha sorrindo para mim falou que sempre seria assim, e que eu poderia urinar sempre... Falou ainda que seriamos batizada e me beijou. Nessa hora senti o liquido quente da urina dele em nós duas. Depois fomos nos banhar... 



- e você? Me fala de vocês, suas fantasias, fetiches, vontades...




- Não deixarei meu contato, mas espero que comentem e que também postem seus relatos mais gostosos aqui nesse maravilhoso blog. Aproveito ainda para agradecer a essa pessoa linda por nos dar esse espaço de desabafo anônimo.



  {maria}


10 comentários:

  1. Quente :)
    Beijos
    http://segredosdacahlima.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada linda ;) Agora estou indo ver seus segredos
      {Maria}

      Excluir
  2. Uiii hehehe gostei do texto...Passa no meu blog pra conhecer tb, se gostar e seguir, sigo de volta!!!
    www.makeolatras.blogspot.com.br
    Bjsss =]

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que você gostou Bia, em breve coloco mais :)

      Excluir
    2. Obrigada por gostar Bia... estou indo ver seu blog... eu não tenho.
      {Maria}

      Excluir
  3. Adorei seu blog e seus relatos, não tenho blog. Posso deixar meu contato de email?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. bom dia Mario, ficamos felizes por ter gostado, caso queira você também pode nos enviar seu relato, quem sabe não o publicamos aqui?
      entre em contato conosco através do formulário ou em contato, bjs

      Excluir
  4. Respostas
    1. bom dia, o e-mail do blog é contato.crisartigosfemininos@yahoo.com.br
      tenha um bom dia

      Excluir

Obrigada pela visita e seja bem vinda não esqueça de seguir o blog
Deixe seu comentário ou sugestões.
Tudo será lido com carinho e respondido :)
Não será aceito comentários ofensivos.
Não será aceito comentários anônimos